31.8.11

Da inocência

Quando era pequenita (mesmo pequenita) encontrei as cartas que escrevia ao Pai Natal numa gaveta lá de casa. Lembro-me ter estranhado, porque deixávamos as cartas na árvore e o Pai Natal passava para as levar (coitado, tanto trabalhinho tinha o sr.). Sendo assim, como é que elas desapareciam e depois estavam todas juntas na dita gaveta, em casa? Não sei o que pensei exactamente, sei só que achei que havia ali trafulhice dos meus pais, no entanto não me ocorreu um "ah-ah! Afinal não existe Pai Natal nenhum!"

1 comentário:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

Que feio... os pais a gamarem correspondencia :P