28.3.11

Eu tinha amigas imaginárias com quem organizava competições de ginástica. Até posso concordar que seria uma brincadeira, a bem dizer, parva. 
Mas havia quem brincasse às procissões! (Certo, Sara?) Duas meninas que simulavam uma procissão religiosa e encarnavam vários papéis, desde santas até srs que levam os andores (Suponho que haja uma designação mais correcta, que desconheço. Conto com a Sara para me corrigir).
E  de repente,  os torneios de ginástica imaginários com as minhas amigas imaginárias fazem mais sentido.

83ª a 86ª de 365

 on 365 Project
Gosto disto.

 on 365 Project
Uma mochilas destas foi feita para viajar, não para estar ali encostada ao canto...


 on 365 Project
Estação de S. Bento - Porto

 on 365 Project
Hora do Planeta - Earth Hour 2011
"You have the power to make it happen"!

http://365project.org/anarita/365/

23.3.11

Politicamente falando, eu que muito pouco percebo de política, estou curiosa para ver o que aí vem...

22.3.11

Os bons hábitos são para se manter! - 82ª de 365

 on 365 Project
http://365project.org/anarita/365

Desde pequena que me habituei a gostar de ler, perdia-me nos livros de aventuras durante horas a fio. Os clássicos "Uma Aventura" e "Os Cinco" marcaram sem dúvida a minha infância. E os Animorphs, alguém conhece? Eram tão fiiixes! Como eu adorava aquilo. A Carla (a amiga real, não a imaginária) lembra-se, que eu ia a ler para quem me queria ouvir na viagem para a escola. E lembro-me que sempre tive uma imaginação do catano, graças a estas leituras.
Fui crescendo, lendo outras coisas.
Sempre fui mais de ler nas férias, poucos livros consegui ter na mesinha de cabeceira, porque quando gosto dificilmente páro, li uns quantos durante horas a fio.
Entretanto na faculdade a coisa foi piorando progressivamente, pois ora há exame, ora há trabalho, ora havia borga, ora há momentos "deixa-me é aterrar bem aterradinha no sofá a ver pela milésima vez aquele episódio daquela série que estão a repetir" e os livros não académicos foram ficando para 2º plano...e 3º...e 4º...É que nem nas férias tenho muito sossego, que a amiga Anatomia e os seus atlas, livros de texto e apontamentos não me largam. Ainda assim férias não são férias se não levar pelo menos um livro (não anatómico) na mala. Mas em 12 meses ler durante 1, parece-me muito mal.
Tinha decidido que este ano, apesar do trabalho (tese,exame de especialidade,frequência das cadeiras e respectivos trabalhos, Anatomias em atraso e por aí fora), ia ler um por mês. Ia... Já é Março e a coisa não vai.
Mas a verdade é que se perder 15 minutos por dia, dá perfeitamente!
E faz bem, espaireço a cabeça sem enchê-la com mais um episódio repetido (srs da Foxlife, se estão a ler isto, esta boca é mesmo para vocês!).
Já tinha era cumprido os meus 15 minutos de hoje se não viesse aqui partilhar esta valiosa informação. Mas apeteceu-me.
E para começar fica este livro, que tem apenas 160 páginas.
Deve ser bom, porque fui eu que ofereci à minha irmã, a minha musa inspiradora, diga-se. Que nunca gostou de ler e na 2ª década de vida, descobriu que não se consegue deitar sem o fazer. Há coisas fantásticas!

A propósito da minha irmã, vou só terminar dizendo que está quase a terminar a leitura de "As palavras que nunca te direi", Nicholas Sparks, e como se adivinha nos livros deste sr, algo menos bom está para chegar... E como a miúda anda numa fase mais agitada e stressante, não se sente preparada para um final triste, portanto está a adiar o inevitável. Acho-lhe graça, não acho muito normal, mas acho graça. 

Credo, que texto gigante!
Mais do que o complexo de superioridade, chateia-me o complexo de inferioridade.
Que manias! Tanto um como outro.

78ª - 81ª de 365

 on 365 Project
Que saudades de estarmos ali sentadinhos só a aproveitar o Sol, em vez de estar metida em casa com o computador à frente e trabalhos que não acabam...

 on 365 Project

 on 365 Project
Sabem-me bem dias assim :)

 on 365 Project

21.3.11

Hora do Planeta - 26 de Março, 20h30 - 21h30


A Hora do Planeta é uma iniciativa da WWF que nos incentiva a apagar as luzes por uma hora e com este gesto simbólico mostrar o nosso apoio à luta contra as alterações climáticas. Pretende sensibilizar cada um de nós, empresas e governos, à escala mundial.
Portugal participa pela 3ª vez consecutiva (eu confesso que participo pela 1ª vez), acrescentando o desafio "Vá Além Desta Hora Na Luta Contra as Alterações Climáticas".

Claro que todos os dias deveríamos ter em conta esta luta, dar mais do que uma hora sem luz ao Planeta e mudar pequenos hábitos. Eu sei que é assunto mais do que falado, mas vale a pena agir.

"You have the power to make it happen"

18.3.11

As minhas amigas imaginárias

Quando era pequenina tinha amigas imaginárias. Quer dizer, eu sabia que elas não existiam, não era parva, mas ainda assim parecia-me mal brincar só com as bonecas, até porque eram quase todas mais novas do que eu, quanto muito tinham aspecto de idade para andar no infantário, nos primeiros anos. Por isso, depois de sentar as bonecas todas em cadeirinhas e brincar aos infantários, em que eu era a educadora que mandava fazer desenhos (fazia-os todos), elogiava e colava na parede, havia uma certa necessidade de conversar com alguém da minha idade.
A minha irmã nasceu já eu tinha quatro anitos, portanto era demasiado infantil para as minhas brincadeiras altamente sofisticadas.
Então, eu não tinha uma, nem duas amigas imaginárias, tinha um batalhão.
Lembram-se dos desenhos animados da Madalena? Aquela menina que vivia num orfanato, com uma freira muito querida (Miss Clavel) e eram todas amigas do Pepito? (quase ninguém que conheço se lembra...)
Eu adorava esses desenhos animados, portanto quando resolvi que era altura de ter amigas imaginárias, porque não ter um orfanato lá em casa? E tinha. A freira era a minha mãe, quando chegava ao quarto para dizer que a cama era para dormir e não para andar aos saltos, dar cambalhotas ou fazer o pino ou quando chamava para jantar. E as minhas companheiras tinham todas nome, eu não as confundia, apesar de serem muito parecidas e assim para o transparentes. E basicamente o que fazíamos eram maratonas de ginástica, todas alinhadas (sim, eu esperava pela minha vez), cada uma fazia a sua acrobacia e discutíamos as técnicas e afins. E sempre que precisava de desabafar, lá aparecia uma delas. A que eu gostava mais era a Carla, tínhamos grandes conversas. Coisas que, evidentemente, não poderia fazer com as minhas bonecas ou a minha irmã tão pequenas na altura...
E assim se passava o tempo lá em casa. Rica vidinha...

video

77ª de 365

 on 365 Project
Por acaso não é coisa que me fascine, sou mais amiga dos chocolates...
 

17.3.11

74ª a 76ª de 365

 on 365 Project
Peso da Régua

 on 365 Project
Tese...ai ai...
 on 365 Project
Já dormia...

http://365project.org/anarita/365

16.3.11

alho

Quando estou em casa, sem beijocas do menino, nem ninguém para conversar, adoro o saborzinho a alho que fica na boca depois da refeição.
Eu sei que neste momento o meu hálito afugenta o vampiro mais destemido, mas sabe-me bem.
E pronto, era isto. Vim partilhar antes de ir lavar os dentes.

10.3.11

o estilo de vida saúdavel

Passar um mês a ouvir dizer aos outros "ai que o colesterol está alto", 6 refeições diárias, pouco de cada vez, aumentar fruta e legumes, 1,5l-2l água/dia, nada de fritos, doces blablabla caminhar todos os dias blablabla...Era de esperar que ouvisse para mim também, não é?
Vamos tentando, vamos tentando... Já estive pior.

9.3.11

66ª a 69ª de 365

 on 365 Project
Não são recuerdos das minhas viagens... Um dia :)


 on 365 Project
Peace and love :)

 on 365 Project
Um trabalho de escola da minha mãe, que estava enrolado e guardado no fundo de um baú...

 on 365 Project
http://365project.org/anarita/365

5.3.11

63ª a 65ª de 365

 on 365 Project
Carteira de mulher,,,e não se vê tudo!

 on 365 Project
Desfile de Carnaval dos pequenitos :)


 on 365 Project
O Douro em azulejo 
http://365project.org/anarita/365