25.2.10

Sempre pensei que se tivesse um super-poder seria voar, embora a transparência seja também muito cativante! Das 2 formas viajava sem pagar hehe, era capaz de me cansar mais a voar, mas também me podia vingar das pombas quando conspurcam para aí o cabelo e roupa dos inocentes transeuntes. E transparente era capaz de ouvir coisas que não queria, dispenso alguns pormenores...e por aí fora...

Há umas noites, acordei de madrugada cheia de frio, tava o cobertor a fugir. Ora, tinha as mãos quentinhas debaixo da almofada, portanto, deslizei cama abaixo para ficar mais quente, em vez de puxar o cobertor como qualquer pessoa normalzinha. E nesse momento pensei "fogo, quem me dera ser como a Matilda - a espalha brasas!" e adormeci.

E agora lembrei-me disso... Se tivesse que escolher um super-poder, seria esse! Mover as coisas com o poder da minha mente! Sra. lontra de rabo vincado no sofá... era ver o fiambre, o queijo, as fatias de pão de forma a voarem em direcção à tosta-misteira...hummm!
Para que ia querer eu voar? Assim, em vez de ir até às coisas, vinham elas a mim...

Pronto, já passou... Vou ali assoar o nariz e retomar o estudo.

2 comentários:

Carla disse...

Eu gostava de ler a mente dos outros. Mas só quando em apetecesse! :) Isso é que era...

Liliana disse...

hehehe muito engraçado este teu post. eu gostava de ter o poder do teletransporte :) Não havia trânsito, molhas, secas, nada hehehe

Venho convidar-te a visitar e deixar a tua marca no meu blog ;)

Beijinhos